Bruno Fagali, da nova/sb, fala sobre o Pró-Ética – prêmio para empresas com práticas de integridade

O prêmio Pró-ética é oferecido pela Controladoria-Geral da União (CGU) e pelo Instituto Ethos de Empresas e Responsabilidade Social. Ele reconhece companhias com práticas consolidadas de integridade e combate à corrupção – a ideia é promover um ambiente corporativo mais íntegro, ético e transparente no Brasil. As inscrições deste ano encerraram dia 28 de abril.

Ano passado, os resultados foram divulgados nos dias 16 e 17 de novembro, foram 25 empresas aprovadas e reconhecidas pelo Prêmio como Empresas Pró-Ética – entre elas estava a Agência nova/sb, primeira empresa do setor de comunicação a ganhar o título de Empresa Pró-Ética. Quem falou sobre o prêmio, no início do ano, foi o gerente de Integridade Corporativa da empesa, o advogado Bruno Fagali – membro também da Fagali Advocacia.

Participar do Pró-Ética

Bruno Fagali salienta que o Prêmio dá às empresas reconhecidas enorme ganho de reputacão e importantes direcionamentos e recomendações para que possam aprimorar seus sistemas de compliance e suavizar os riscos de condutas antiéticas no seu ambiente empresarial.

“Todas as empresas recebem da CGU um detalhado e importantíssimo relatório sobre o Programa de Integridade submetido. Nesse ‘Relatório de Avaliação’, a CGU esclarece, de um modo transparente e muito motivado, a pontuação atribuída a cada quesito julgado, bem como registra recomendações sobre os pontos que devem ser aprimorados. Este relatório, portanto, é um relevante feedback que pode auxiliar muito o aprimoramento dos Programas de Integridade”, explica o gerente.

Principais desafios

De acordo com o membro da nova/sb, a lista de perguntas da CGU a serem respondidas é um deles – ela é vasta e profunda. Ainda, as informações solicitadas exigem das empresas um alto grau de conhecimento e de formalização de suas atividades de compliance.

“Além disso, cada empresa encontrará certos desafios específicos, a depender do ramo de atividade em que está inserida. No caso de agências de publicidade, por exemplo, foi um grande desafio explicar de modo fácil e sucinto algumas particularidades da atividade publicitária”, sobressai o advogado Bruno Fagali.

Sobre o reconhecimento

Para o gerente de Integridade, algumas características do Programa de Integridade Corporativa contribuíram muito para a conquista do prêmio, mas a mais importante “foi o altíssimo comprometimento da Alta Direção da agência”.

“As distintas formas de treinamentos que desenvolvemos também foram só motivos de elogio pelos julgadores”, conta Bruno Fagali.

Aos futuros participantes

“Meu principal conselho está na formalização e organização de todas as informações sobre o Programa de Integridade. […] É imprescindível que o departamento de compliance da empresa se dedique constantemente em registrar todos os passos tomados. […] Todos esses registros serão, com a inscrição no prêmio, utilizados como comprovação de que o que foi respondido efetivamente é o que acontece na empresa”, enfatiza o gerente de Integridade da Agência nova/sb.

Ele ainda completa – “Sugiro fortemente que adotem essa formalização e esse registro como hábito, como prática desenvolvida constantemente, todos os dias. Nunca deixar para fazer isso ‘à toque de caixa’, na véspera da data limite de entrega”.

As expectativas para o futuro

“Minhas maiores expectativas estão na melhoria da qualidade dos programas e dos departamentos de compliance. É com muita felicidade que tenho percebido cada vez mais a disseminação e a procura de profissionais por cursos específicos e/ou de atualização nesse tema, muitas vezes, inclusive, com suas matrículas arcadas por suas respectivas empregadoras”, finaliza Bruno Fagali.

July 13, 2017

Posted In: Recentes