Carros a diesel podem voltar as ruas diz Congresso

Várias cidades no mundo ainda comentam e debatem o  Tratado de Paris, onde mais de 100 países concordaram em reduzir o uso de combustíveis fósseis. Porem na contrapartida o Brasil analisa voltar a usar os carros de passeio movidos a óleo diesel.

Este ano o Congresso Nacional pretende analisar dois projetos de lei que visam liberar a fabricação do automóvel, e a livre circulação nas ruas.

Na Câmara dos deputados, a proposta PL 1.013/2011 foi rejeitada pela comissão do Meio ambiente e do Desenvolvimento sustentável, mas após manobra parlamentar segue em pauta na comissão especial.

Já na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania do Senado, é analisado um projeto de decreto legislativo para liberar o uso de veículos leves.

Motivo da proibição

O Brasil é atualmente o único país no mundo que possui uma lei que proíba a utilização desse tipo de carro. Os carros a passeio movidos a diesel foram proibidos no país, em 1976 junto com o surgimento da ProÁlcool, que lutava para a substituição dos combustíveis derivados do petróleo depois da crise de 1973.

Tentativas inúmeras de se derrubar esse veto foram realizadas de lá para cá, mas com o aumento da preocupação ambiental, todas foram em vão. Antigamente o diesel era muito prejudicial à saúde, mas agora com a criação do diesel s10, com muito menos poluentes, o argumento ambiental parece não ter mais peso.

O engenheiro Luso Ventura explica que o carro a diesel não é indicado para todos os condutores, não só por ser mais caro, mas porque existe um perfil. Vale a pena para aqueles que rodam mais do que a média. O motor a diesel dura mais do que um a gasolina, e são 25% a 35% mais eficientes. O consumo pode chegar a 25km/L.

O carro elétrico

Atualmente o uso do carro elétrico na América do Norte e na Europa só aumenta, devido a diminuição do valor para um preço mais competitivo, e pela evolução da tecnologia da bateria do automóvel.

A indústria internacional indica a massificação desse tipo de veículo como um meio de transporte popular. Existe uma publicidade fortíssima para o produto, sempre se utilizando dos índices anuais do aquecimento global, e os benefícios de se ter um automóvel não movido a combustível fóssil, ou seja, que é VZE, Zero Emissão.

De acordo com o Ministério de Minas e Energia, o Brasil fez a opção de estimular o consumo de combustíveis renováveis, e a utilização do diesel afetará o consumo do etanol.

Alguns dos principais motivos para a tentativa de “ressureição” dos carros movidos a diesel, são os altos preços do etanol, e a crise na Petrobras que gerou uma necessidade de importar 12 milhões de litros de combustível.

O projeto está aberto para consulta pública.

February 3, 2017

Posted In: Recentes